Você sabe qual a diferença entre M2M e IoT?

Qual a diferença entre M2M e IoT.

O desenvolvimento tecnológico vem acontecendo em um ritmo cada vez mais acelerado e, muitas vezes, pode ser difícil não misturar algumas tecnologias. É o caso, por exemplo, da Internet das Coisas – cuja sigla, IoT, vem do seu significado em inglês “Internet of Things” - e da comunicação Machine to Machine (M2M).

A confusão entre essas duas tecnologias, em parte, ocorre por conta de ambas possuírem acesso remoto a dispositivos e, também, porque são usadas como soluções para conectividade dentro das empresas.

No entanto, ainda que haja semelhanças entre M2M e IoT, seus modos de operação são distintos.

Se você, da mesma forma que muitas outras pessoas, também tem dúvidas sobre essas duas tecnologias, tranquilize-se, porque elaboramos este artigo para você descobrir, de uma vez por todas, qual a diferença entre M2M e IoT! 

Entenda a tecnologia M2M – Machine to Machine

O termo machine to machine – ou máquina a máquina, em português – é usado para designar toda forma de comunicação entre dois dispositivos, sem que haja necessidade de uma interferência humana.

Dessa forma, a tecnologia M2M permite que processos repetitivos ou demorados possam ser automatizados, liberando o ser humano para realização de tarefas mais estratégicas e, ainda, aumentando a produtividade.

Isso é possível porque integrando recursos avançados de comunicação, esses dispositivos podem capturar dados variados, compartilhando-os com outros equipamentos igualmente conectados.

Com esse procedimento, cria-se uma rede inteligente e apta a gerir informações e monitorar dados em tempo real. Na prática, a tecnologia M2M oferece soluções que beneficiam empresas de todos os segmentos e portes – exatamente por isso, Machine to Machine vem crescendo exponencialmente em todo o mundo.

IoT: transmitindo informações via rede

Enquanto a M2M possibilita a comunicação de dispositivo para dispositivo, a Internet das Coisas, IoT, permite que várias máquinas construam uma rede de dados conectada.

Podemos dizer que IoT é uma visão mais avançada da conectividade, alimentada pelos avanços da tecnologia M2M.

Assim, essa tecnologia possibilita que dispositivos troquem dados entre si e com a internet, tomando decisões automaticamente, conforme sua programação.

Essa interatividade da IoT ocorre através de radiofrequência (RFID), internet, Wi-Fi,  Bluetooth, entre outros tipos de conexão. Já a troca de informações, que pode ser feita entre objetos ou entre pessoas e objetos, é variável e o objeto pode receber as informações e armazená-las, efetuar uma ação ou, até mesmo, enviar uma resposta.

As possibilidades do uso de IoT são infinitas, mas incorporar esse conceito e usufruir de suas funcionalidades de forma correta e segura, certamente, proporcionará muitas vantagens às companhias e aos indivíduos.

Aplicações das tecnologias M2M e IoT

As tecnologias M2M e IoT têm potencial para aprimorar processos em todo o tipo de negócio e, para comprovar, listamos a seguir alguns exemplos de uso

1. Saúde

Com a ocorrência da Covid-19, a telemedicina ganhou papel de destaque, permitindo atendimentos sem que o paciente se dirija aos hospitais, arriscando-se a contrair o novo coronavírus. Mas existem outras aplicações, além das consultas online - veja mais.

M2M na saúde: conexões que garantem maior disponibilidade e funcionamento contínuo dos serviços de telemedicina,  monitoramento da frequência cardíaca de pacientes e, em caso de algum tipo de problemas no batimento, enviar choques para correção do ritmo cardíaco, entre outros.

IoT na saúde: registro autônomo de informações, monitoramento contínuo de pacientes com compartilhamento de dados e histórico médico completo, etc.

Para sair do papel, as consultas virtuais fazem uso da comunicação M2M. Mas a utilização dessa tecnologia - e de IoT - no setor é bem mais ampla podendo, como pudemos perceber.

2. Smart Cities

As Smart Cities, ou cidades inteligentes, precisam da tecnologia IoT para gerar facilidades como:

  • Melhorar a eficiência energética, mantendo lâmpadas apagadas durante o período de claridade natural ou no período noturno quando não há presença de pessoas. Esse controle inteligente de iluminação gera economia no consumo e maior segurança aos cidadãos;

  • Aprimorar o controle de trânsito fazendo uso dos dados coletados por câmeras espalhadas pela cidade para controlar semáforos, identificar volume de trânsito e congestionamentos, motoristas que não seguem as leis vigentes – e tomar as devidas providências para cada uma das situações.

Os sistemas de rastreamento veicular, baseados no uso de M2M, também fazem parte desse conceito de cidade, auxiliando a encontrar melhores trajetos para diminuir congestionamentos, por exemplo.

3. Sistema Bancário

Machine to Machine também mantém o sistema bancário móvel conectado ao sistema central do banco, atualizando a transação em tempo real. Em tempos de dispositivos móveis para compras e pagamentos, o M2M é essencial para que esses serviços possam acontecer com segurança.

Outra opção do uso da tecnologia M2M no sistema bancário é o monitoramento de caixas eletrônicos, identificando o momento de reabastecer as máquinas com novas quantias.

Já o IoT permite interação entre o cliente e o banco, agilizando o atendimento via telefone. Também identifica e comunica falhas técnicas, possibilitando corrigi-las com maior agilidade - para citar dois exemplos.

4. Gerenciamento de Inventário

Aplicando em seus produtos as etiquetas RFID, que emitem sinais para computadores aos quais estão conectadas, a tecnologia M2M possibilita ter controle preciso de produtos vendidos no e-commerce e controlar o estoque. Enquanto isso, com emprego do IoT, o gestor pode receber um aviso no caso de tentativa de furto em lojas físicas.

5. Agrobusiness

Claro que o agronegócio também pode se beneficiar, e muito, do M2M. Dois bons exemplos são:

  • O uso de sensores para monitorar equipamentos, garantindo seu pleno funcionamento e ampliando sua vida útil;

  • Identificação do momento certo da irrigação, liberando água na medida certa;

Já o monitoramento e acompanhamento da saúde da plantação também é possível. E a tecnologia IoT entra em cena para identificar problemas e comunicar os responsáveis, permitindo intervenções rápidas e precisas, se necessário.

6. Telemetria

Outro exemplo prático do uso de M2M é a telemetria, um sistema de controle com diversas aplicações, muito usado em empresas de monitoramento de veículos que normalmente funcionam via transmissão sem fio (sinal de rádio). 

Entre suas muitas aplicações, ela é essencial para o monitoramento remoto de veículos, por exemplo, permitindo acompanhar a localização em tempo real, monitorar o desempenho do motorista ou o consumo de combustível, por exemplo - saiba mais sobre telemetria aqui!

7. Indústria

Cada vez mais, as organizações optam pela integração de dispositivos internos e externos à planta. Dessa maneira, os equipamentos e máquinas estão conectados em redes, disponibilizando informações em tempo real, aumentando a produtividade e diminuindo as perdas. Enquanto M2M conecta e promove a comunicação entre os equipamentos, IoT surge para levar as informações ao ser humano, permitindo usá-las para decisões mais assertivas.

Diferença entre M2M e IoT

Tanto M2M quanto IoT fornecem acesso remoto e comunicação entre dispositivos, sem precisar de interação humana. Mas mesmo que tenham como objetivo comum alcançar a conectividade, elas são diferentes.

Acompanhe os principais fatores que distinguem essas duas tecnologias.

Diferença 1: forma de conectividade

A conectividade M2M é alcançada por meio de comunicação ponto a ponto, isto é, os módulos são incorporados em uma máquina e se comunicam por Wi-Fi ou redes de celulares com um aplicativo. Já IoT implica conectividade por meio de redes IP, inserindo na nuvem os dados coletados com dispositivos. 

Diferença 2: O que está sendo conectado

Enquanto M2M conecta máquina a outra máquina, Internet das Coisas é uma rede de máquinas conectadas.

Diferença 3: Tipos de Comunicação

A comunicação M2M baseia-se estritamente em dispositivos. Com IoT a comunicação vai além, conectando humanos a máquinas, dispositivos, dois sistemas de dados e, também, com o ambiente ao seu redor - como a coleta de dados proporcionada por sistemas de rastreamento de veículos.

Diferença 4: Escalabilidade

A comunicação máquina a máquina possui um número limitado de opções de integração. Para se comunicar, os dispositivos precisam ser compatíveis, impedindo que duas máquinas com especificações técnicas diferentes se conectem. Assim, é indicada para aplicações de menor escala, como manutenção. 

Projetada para interação em larga escala, a Internet das Coisas não tem limites de integração de dados baseados em hardware - tendo uma solução capaz de gerenciar a comunicação, o número ou o tipo dos dispositivos não é importante. 

Diferença 5: Entrega de Dados

Ainda que as duas tecnologias permitam a coleta de dados, a forma de processamento e entrega é diferente. M2M, de modo geral, usa os dados para controle do próprio dispositivo.

IoT, por sua vez, coleta e cruza os dados, favorecendo insights para uma gestão mais eficiente.

Tecnologias como M2M e IoT elevam produtividade e reduzem custos

Mais do que nunca, para sobreviver ao contexto econômico atual, as empresas precisam reduzir custos e aumentar a produtividade. E as tecnologias M2M e IoT permitem obter vantagens como otimizar processos, detectar falhas e obter insights - permitindo decisões mais assertivas e rápidas.

As organizações já sabem de todo esse potencial, tanto que o mercado de IoT está em franca expansão, apesar da crise provocada pela pandemia no novo coronavírus, colocando o Brasil como o país que mais investe nesse tipo de tecnologia na América Latina.

Foram 6,1 milhões de dólares em 2019, quase igual à média global de 6,4 milhões de dólares, segundo a Zebra Techonologies, que fez um estudo minucioso para chegar a esse resultado, esses números foram 45% maior do que o investimento feito em 2018.

Para se ter uma ideia do avanço do uso de tecnologias como M2M e IoT em terras brasileiras, basta saber que a TNS, empresa global que trabalha com conectividade, possui mais da metade dos seus 2 milhões de dispositivos conectados em todo o mundo, funcionando no Brasil.

TNS: referência mundial em comunicação de dados

Tomar decisões com base em análise de dados é essencial para sobreviver no mercado atual, cada vez mais desafiador e competitivo.

A TNS sabe dessa necessidade e, por isso, desenvolve a plataforma de gestão de dados LSM, que permite conectar e gerenciar os dispositivos conectados. Também é especialista em conectividade para ferramentas de Internet das Coisas (IoT), com o objetivo de desenvolver novas soluções em áreas como indústria e rastreamento de veículos e ativos.

São tecnologias completas e personalizadas para gestão e transmissão de dados, capazes de alavancar seus negócios.

Para ficar por dentro de todas as novidades sobre comunicação de dados e saber o que nossas soluções podem fazer por sua empresa, acompanhe nosso Blog - para começar, leia os artigos abaixo:

Porque uma plataforma de gestão de dados ajuda meu negócio

Porque você precisa de um fornecedor de dados de mercado

Deixe seu comentário, crítica ou sugestão


Ao acessar o nosso site, você concorda com o uso de cookies para analisar e produzir conteúdo e anúncios adaptados aos seus interesses. Leia nossa Política de Cookies.