O que esperar do roaming 5G

Por Nina Le-Richardson, Diretora de Gerenciamento de Produtos da TNS, Seattle, Washington

Com o serviço comercial 5G aparecendo nos mercados dos seis continentes, como o roaming 5G funcionará? O 5G proverá aos usuários serviços globais baseados na capacidade de fazer roaming e acessar a infraestrutura local nos países visitados.

O roaming global aprimorado é uma grande vantagem do 5G e sua habilidade de equilibrar o controle do usuário com conveniência não pode ser subestimada. A continuidade dos serviços globais e a consistência da experiência dos usuários, quando eles não estão em sua rede doméstica ou país, é um grande diferencial do roaming 5G. No entanto, deve-se esperar um tempo de implantação de 5 a 10 anos para o roaming 5GC.

Você pode perguntar: por que tanto tempo?

À medida que mais redes 5GC forem instaladas, o roaming entre essas redes também será introduzido. A sinalização entre redes 5GC precisa ser segura e criptografada. Este assunto será discutido em mais detalhes em um próximo post no blog.

A realidade é que a maioria das operadoras existentes implementará a opção 3 não autônoma (NSA). Esta opção de 5G não trará nenhuma mudança na arquitetura e nos procedimentos de roaming existentes. Cabe ao operador móvel visitante permitir que seus usuários em roaming de entrada façam uso da rede 5G NSA opção 3, além disso, precisam ser compatíveis com 4G.

A opção 3 é definida como Nova Conectividade Dupla de Rádio E-UTRA (EN-DC) e é um recurso 3GPP introduzido para oferecer suporte às velocidades de dados 5G com redes LTE e rádio existentes, sem a introdução de elementos de rede 5G. A opção 3 do EN – DC pode ser um recurso útil para redes heterogêneas, oferecendo rendimento de dados em velocidades de 5G e oferecendo cobertura de roaming 4G confiável já existente.

O termo “conectividade dupla”, na verdade, se refere à conectividade RAN dupla. A Opção 3 não trará alterações na cobertura de roaming internacional LTE existente ou nos padrões e processos de negócios de roaming. Depois que a VPMN (Rede móvel pública visitada) implementar a opção 3, o VPMN deve configurar sua instalação EN-DC para permitir que os dispositivos móveis em roaming de entrada alcancem as velocidades 5G. EN-DC é compatível com 4G; portanto, a opção 3 permitirá menos interrupções de serviço em roaming, pois os lançamentos do SA 5GC estão sendo iniciados.

EN-DC também assegura melhor confiabilidade do sistema, reduzindo as interrupções do serviço consequentes da perda da mais alta propagação em situações de ondas milimétricas ou fora da linha de visão no massive MIMO. Com o tempo, mais espectro será transferido do 4G LTE para 5G NR à medida que o número de dispositivos compatíveis com 5G aumenta.

O que acontecerá com o 4G e 3G?

Apesar do contínuo crescimento do Sistema Universal de Telecomunicações Móveis 3G (UMTS) em muitos países para além de 2020, está prevista uma redução global de 3G até 2023. Os fatores que influenciam a redução de 3G incluem:

  • Espectro de reorganização para 5G e operadora de celular, redução de custos através do direcionamento de todos os IP
  • Instalações de rede baseadas em IMS
  • Em algumas regiões, o 3G pode continuar a ser a principal tecnologia usada para roaming internacional por um curto período de tempo
  • Espera-se que o 4G LTE e o VoLTE se tornem a tecnologia RAN dominante até 2022, já que as RANs 3G são sendo lentamente desativadas em favor do roaming 4G e o 3G vai sendo reduzido.

Atualmente, os usuários 4G podem viajar globalmente e sem problemas usando seus dispositivos móveis, devido a uma série de acordos de roaming neutros em tecnologia herdada entre operadoras móveis. A maioria desses usuários móveis acessará o 4G LTE com o Circuit Switched FallBack (CSFB) para voz 3G, devido aos atrasos no lançamento do VoLTE.

Resumindo, o suporte ao roaming atualmente não é especificado quando a rede doméstica é apenas EPC e a rede visitada é apenas 5GC; veja o gráfico abaixo da GSM Intelligence.

 

Como já foi dito antes neste blog, mais operadoras estão se concentrando na redução do 3G e no lançamento de roaming VoLTE. O prazo estimado para o roaming SA 5GC pode ser de cinco a 10 anos.

Leia nossos posts anteriores nessa série "O Hype do 5G", "LTE ou 5G: qual será a tecnologia dominante? e "5G Não-autônomo vs. 5G Autônomo".

Deixe seu comentário, crítica ou sugestão


Ao acessar o nosso site, você concorda com o uso de cookies para analisar e produzir conteúdo e anúncios adaptados aos seus interesses. Leia nossa Política de Cookies.