Vantagens do pagamento por aproximação

O pagamento por aproximação se popularizou nos últimos anos. A pandemia reforçou ainda mais essa tendência, visto que as pessoas não precisam ter contato com uma máquina de cartão para finalizar um pagamento.

Essa tecnologia traz muitas vantagens tanto para o lojista quanto para o consumidor. Ela já tem ampla aceitação do mercado, principalmente entre os jovens. Por isso, as empresas estão cada vez mais atentas em oferecer esse tipo de pagamento aos seus clientes.

Se você ainda tem dúvidas sobre como funciona o pagamento por aproximação, quais são os riscos e vantagens dessa tecnologia e quais são as projeções de crescimento de mercado para os próximos anos, então continue a leitura e aprenda mais sobre o assunto.

Como funciona o pagamento por aproximação?

Esse sistema usa uma tecnologia chamada Near Field Communication (NFC). Em português, a tradução seria “comunicação por campo de proximidade”. Isso significa que dois dispositivos podem estar a poucos centímetros de distância e conseguem se conectar.

Na prática, quando um cliente aproxima o seu cartão de crédito ou débito da maquininha, o leitor dela recebe os dados através de uma frequência de rádio ou pela própria tecnologia NFC. Com isso, a transação é aprovada ou recusada.

Vale ressaltar que, dependendo do valor da operação, pode ser solicitado incluir a senha, mesmo que o pagamento seja feito por aproximação. Essa é uma medida de segurança para evitar que, caso o cartão do consumidor seja roubado, a pessoa consiga usá-lo em qualquer lugar sem precisar de senha.


Vantagens do pagamento por aproximação

Em primeiro lugar, esse tipo de pagamento agiliza o procedimento de compra, diminuindo filas e melhorando a experiência do usuário.

Isso é bastante vantajoso tanto para o consumidor final – que faz uma compra mais rápida – quanto para o empreendedor, que consegue atender mais pessoas no mesmo intervalo de tempo.

Além disso, quando o valor não é alto, o cliente não precisa ter contato com a maquininha de cartão. Essa vantagem foi muito forte na pandemia, mas ela segue sendo importante porque as pessoas estão cada vez mais cuidadosas e higiênicas.

Outro benefício interessante é a segurança proporcionada por essa operação. Grande parte dos casos de clonagem de cartão acontece no momento de inserir o objeto na maquininha. Com o pagamento por aproximação, essa etapa é suprimida e preserva mais o usuário.

Portanto, entre as novas tecnologias de pagamento disponíveis aos brasileiros, podemos destacar as transações por aproximação a partir de algumas vantagens, enfatizadas no relatório da Abecs:

  • Experiência de pagamento sem atrito, com agilidade e segurança;

  • Multiplicidade de devices (cartão, celular, relógio, pulseira etc.);

  • Padrões internacionais de segurança (mesmo nível de segurança do chip).

  • Prevenção a contágios;

  • Eficiência para comércios, principalmente aqueles que lidam com grande fluxo de clientes.

Porém, uma desvantagem é que, muitas vezes, o consumidor não enxerga o valor que está sendo passado. Por isso, é importante pedir a segunda via do pagamento ou verificar no aplicativo do banco o valor passado.


Crescimento do mercado de pagamento por aproximação

Como já comentamos, a pandemia acelerou bastante o crescimento dessa tecnologia no mercado e a ampla aceitação dos consumidores.

De acordo com um levantamento da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), a quantia movimentada em pagamentos por aproximação cresceu mais de 455% entre o primeiro trimestre de 2021 e o primeiro trimestre de 2022. Os pagamentos por aproximação somaram mais de R$ 100 bilhões nos primeiros três meses deste ano.

Em relação a quantidade de transações, os brasileiros realizaram mais de 2 bilhões de pagamentos por aproximação no primeiro trimestre de 2022, um aumento de 474% em relação ao mesmo período de 2021.

Atualmente, esse valor já é tão expressivo que, a cada quatro operações realizadas no Brasil com cartão de crédito ou débito, uma é feita por aproximação.

Além dos números mostrarem esse crescimento na prática, também existem pesquisas entrevistando consumidores para saber a preferência deles quando o assunto é pagamento.

A própria Mastercard realizou estudos na Europa em que 64% dos entrevistados afirmaram que o pagamento por aproximação é o preferido deles. Além disso, 89% das pessoas consideram a tecnologia fácil de usar. Tudo isso mostra a ampla aceitação da tecnologia no mercado.

Quando olhamos para a América Latina, percebemos uma situação similar. Em junho de 2021, a bandeira Visa anunciou que a adoção do pagamento por aproximação na região já é de 25% e que, em cinco países, esse número passa de 50%. Assim, no Chile, na Costa Rica, na Guatemala, em Bermuda e no Panamá, a cada duas transações, uma é feita por aproximação.


Projeção de crescimento para os próximos anos

Com todas as mudanças que o mundo vem passando, podemos traçar algumas projeções de crescimento do mercado de pagamento por aproximação para os próximos anos.

O próprio Banco Central anunciou recentemente que deve anunciar um cartão com tecnologia de aproximação vinculado ao PIX. O objetivo disso é solucionar o problema de precisar estar conectado para usar o recurso de pagamento instantâneo. Assim, o consumidor não precisaria de internet e poderia fazer transações offline.

Quando esse cartão for lançado, ele deve aumentar o crescimento da tecnologia de aproximação no Brasil porque as pessoas terão mais contato com esse tipo de pagamento.

Além disso, a própria Associação Brasileira de Empresas de Cartões de Crédito e Serviços estima que, até o fim de 2022, metade das transações presenciais com cartão devem ser feitas por aproximação. Com isso, esse número pode superar 3 trilhões de operações.

Ou seja, a expectativa de crescimento desse mercado é bastante significativa no Brasil e no mundo. Assim, não podemos ignorar a aceitação dessa tecnologia pelos usuários e precisamos garantir que essa forma de pagamento siga sendo segura.


Como manter essa prática segura para as empresas

Já comentamos sobre os riscos e proteção que os usuários têm ao fazer uma transação por aproximação. Mas, quando falamos nas empresas, quais são os impactos causados?

De maneira geral, as bandeiras e emissoras de cartão já tomam as medidas necessárias para evitar qualquer tipo de fraude. Além disso, os riscos envolvendo essas transações são muito maiores para o usuário do que para o lojista.

Além disso, todas as operações que ocorrem por aproximação são criptografadas e validadas. Isso dificulta que esse pagamento seja interceptado e o lojista saia no prejuízo.

Veja também